É inegável que passamos por uma profunda crise ideológica e quiçá criativa. Na verdade, deparamo-nos com crises na esperança e continuamos resistindo.

 

Como agarrar uma esperança neste momento atual, onde vive-se em um mundo no qual a política além de desprezada é mal compreendida sendo reduzida a partidarismo? Muito além deste sectarismo é preciso evidenciar a noção de política em sua etimologia - polis: cidade, corpo social. Deste corpo social, entre ideias, ações e fatos, depreende-se que tudo é ou se refere à política. Assim, viver, e consequentemente a arte como reflexo da vida, são manifestações de corpos políticos. Este fazer é, talvez, um modo de compensar ou enaltecer a situação de cada cidadão no mundo.

 

Neste momento de incompreensão generalizada, torna-se mister olhar, ver a produção e escutar o outro: O que é? Por quê? Quem é cada um? Ao se entender isso, pode-se encontrar uma chave para o coletivo, termo tão usado em artes há tanto tempo. Vale revisitar alguns conceitos, como a aldeia global e posicioná-la em todas as conexões de cada microuniverso individual.

 

Os fazeres que estabelecem diálogos, percepções e ligações são reflexos de atos políticos globalizados. Não se pode minimizar a noção de aldeia global, mas sobretudo ampliar as fronteiras, os canais que estão incorporados ao próprio ser, por vezes às próprias identidades.

 

É, nessa esteira de possibilidades de planejar e compreender o mundo, com todas as suas idiossincrasias e respeitando as diferenças, que se alicerça o CIANTEC’ 20/21.

 

Abre-se então um convite ao debate de ideias e análises sobre estes corpos políticos, sobre os indivíduos e suas obras, sobre o mundo que vê e reage, sobre as críticas do mundo, sobre a luta de ser um lutador corpo a corpo.

 

Este convite é aberto a todos, acadêmicos ou não, artistas ou arteiros e profissionais das mais diversas formas de arte que possam, e queiram, contribuir com a relação entre academia e mercado e estreitar cada vez mais as possíveis mudanças para a compreensão do agora e com isso melhorar um pouco do mundo.

 

Venha, participe de mais este encontro compartilhando ideias, pesquisas e percepções.

 

As ideias serão agrupadas, e jamais restritas, a grupos como:

 

  • Comunicação
    • Design / Mídias / Tecnologias / Mercado / Tendências / Consumo.

 

  • Sociedade, Cultura e Arte
    • Espaço da(de) arte / Apropriações / Processos Criativos / Estética / Identidade.

 

  • Arte Educação Contemporânea
    • Curadoria / Mediação / Educação / TICs  / Produção / Artista / Públicos.